0

Foi

Te deixei lá atrás, guardado como uma boa lembrança, te tive tempo de menos mas vivemos como se o amanhã não existisse. Não fizemos planos muito menos promessas porém no fundo sei que meu futuro vai te trazer de volta.
Foi o tempo mais intenso da minha vida graças a ti pude aprender que ainda posso amar alguém, sim eu te amei e só soube lidar com isso com a sua partida. Te amei como nunca mais achei que iria conseguir de novo só que agora tenho que deixar lá no passado e tentar viver o meu futuro como se tudo fosse só um sonho bom.
Te quis. Te tive. Te encontrei. Te marquei. Agora não há razões para voltarmos. Não há razões para nos queremos. Você foi uma das melhores (senão a melhor) coisa que me aconteceu nesses tempos mas tudo que é bom tem seu fim. Nosso momento foi lindo e ficará sempre guardado.
Quem sabe um dia te encontro por aí e voltemos de onde paramos. Porém no momento só quero que você siga em frente e ame outras, viva outros momentos bons. Que quando estiver pronto, estarei aqui, te esperando.

0

Ela

A garota pálida corria como se a vida não tivesse fim, desesperada para conseguir viver mais a cada segundo, voava para longe. O garoto apenas observava sabendo que no final ela voltaria aos seus braços como se toda aquela epifania nunca tivesse ocorrido.
O sol estava se pondo quando ela resolveu deitar e descansar de toda aquela falsa realidade, ele com medo de que a sua menina fugisse logo tratou de sentar se junto dela, notava- se à penas dois corpos estáticos lado a lado cada qual em seu mundinho particular, com seus anseios e problemas. Não eram problemas comuns à de dois adolescentes, era algo que os colocava entre uma grande barreira invisível. Ela não parava de mecher nos seus cachos dourados para evitar falar e ele apenas fechava os olhos esperando algo acontecer.
– Perdoa por eu não poder te perdoar, dói muito mais em mim não ter a quem  amar – a palida menina começou a cantarolar uma das suas músicas favoritas com o tom certo de melancolia na voz – Ecoa em mim o silêncio dessa solidão,  quem dera poder viver sem coração.
A música fazia todo o sentido no momento mas nenhum dos dois iriam falar sobre aquilo, a letra já dizia tudo.
Ficaram deitados sob o sol durante horas só resolveram se levantar quando os raios solares começaram a baixar. Ela caminhava carregando um semblante de tristeza, ia parando em alguns pontos para observar se ele ainda estava ali e ele sempre estava. Sempre. Nunca a abandonou.
-Eu te amo, mas não posso ficar. Não nesse momento. Tudo o que passamos foi mágico mas não vou destruir sua vida, não vou tirar os seus sonhos como tiraram os meus, não posso! Tudo o que temos é algo tão belo! Eu te amo! Já disse isso? E com a certeza desse amor vou me despedir. Vou te deixar com a melhor parte de mim enquanto a pior ainda não acabou com tudo. – ela falou rapidamente, sem deixar tempo para a resposta, virou de costas e o beijou. O último beijo. Tirou a corrente que usava e colocou no bolso dele.
Ela correu. Correu sem parar e o deixou ali parado. Ele caiu de joelhos não sabendo como regir.
Ele enfiou a mão nos bolsos achando a correntinha: havia um pingente com a foto dos dois de um ano atrás. Ele chegou a acreditar que ela ia voltar, mas nunca mais ele a teria de volta, não depois do incidente. Não depois de tudo. Com dificuldade ele levantou do chão e se arrastou. Não iria procura-la, se ela queria distância é o que teria. Mas como doía deixar sua menininha partir, depois de ajudar a curar todas as feridas dela, machucados permanentes. Ele apenas andou em direção ao que parecia ser a salvação. Alguns metros a frente ele viu um corpo. Ficou estatístico. Se aproximou e reconhecendo a cor dos cabelos se jogou no chão desesperado. Era ela. Aquele beijo não foi uma despedida comum foi um adeus, ela não aguentou a pressão e ele não iria abandona-la, tinha feito uma promessa. Achou um frasco de remédios nas vestes dela e reparando que o vidro estava pela metade deu a mão a ela, sussurrando “Vou estar com você até o fim.” Engoliu às pílulas. Tão perto e ao mesmo tempo tão longe, ele se deitou  antes de sentir todo o seu corpo se desligar. Mas ele a enxergava, sorrindo e o chamando. E àquilo era a única coisa que importava.

0

Pra ela

Sempre achei que nunca iria achar uma pessoa que me entendesse em todas as entrelinhas, alguém que soubesse só pelo meu oi quando estou bem ou não, alguém que me mandasse bom dia mesmo sabendo que eu só iria ler depois das duas da tarde, uma pessoa que fizesse de uma ida ao shopping um dos melhores passeios do mundo. Apareceu pra mim como quem não queria nada além de conversar me conquistou aos poucos com aquele jeito tímido que virava uma explosão depois de algum tempo , a garota você se tornou uma melhor amiga tão fantástica que não só me conquistou como fez com que as pessoas ao meu redor te quisessem cada vez mais por perto.

Fiquei com ciúmes confesso. Mas percebi que as melhores coisas da vida tem de ser divididas e adivinha só? Você era uma das melhores coisas da minha vida! Não era justo te deixar longe de toda a alegria por não querer te dividir e foi assim que aprendi que você nunca ia me trocar porque nossa ligação é especial.

Te adoro. Vê se não esquece disso

0

33 coisas aleatórias

Achei essa tag nesse blog maravilhoso e depois de algumas horas respondendo a essa tag acho que mereço que vocês leiam isso até o final. Ou não.

1) Por que você costumava levar bronca quando era criança?

-Eu era uma criança completamente controlável, fazia o que meus pais queriam, como eles queriam e no momento no qual desejavam. Porém em alguns momentos libertava o monstrinho interior, entre algumas janelas quebradas e brigas com os meus irmãos e primos, levava algumas broncas.

2) Quando foi a última vez que você saiu sem rumo?

-Semana passada. Terça. Briguei com os meus pais e fiquei rodando entre casas de amigos, ruas escuras e bairros distantes. Confesso que tenho uma mania de sair em disparada quando não consigo resolver meus problemas como uma adulta responsável, o que acontece com uma frequência extremamente grande.

3) Três objetivos para o seu futuro:

-Não são exatamente objetivos estão mais para vontades as quais vou concretizar antes de ter cabelos brancos e netos além dos dedos. Vou colocar aqui não em ordem de importância: entrar na faculdade de jornalismo pois é a única resposta que venho dando desde que me perguntam o que quero ser e nem meu pai conseguiu tirar essa ideia da minha cabeça mesmo falando que vou morrer de dome e acabar sentada chorando na cama com dividas enormes e sem comida. Sem comida. Meu pai apelou para a falta de alimento pra que eu trocasse a profissão. Quero muito passar um ano fora também, fazendo qualquer coisa em qualquer lugar, viver uma vida diferente da que estou acostumada e usar isso para seguir em frente.

A terceira vontade é a de fazer alguma coisa boa pelo mundo, algo que faça bem a alguém. Meio “todo mundo quer” mas a minha religião me ensinou a sempre querer fazer coisas boas.

4) O que você encontraria se abrisse sua geladeira nesse exato momento?

-Potes. Muitos potes. Muitas e muitas garrafas d’água. Não é exagero, deve ter umas dez garrafas d’água dentro da geladeira, meus pais gostam muito de beber água porém ela sempre tem de estar gelada. E os potes contém: saladas, restos de comida, algum doce e claro, o clássico da vida: feijão.

5) Qual tecnologia ocupa mais seu tempo?

-Celular ou computador. Depende muito do dia, de se consegui carregar o celular, se tenho créditos, se minha mãe em um ataque de fúria não tomou o meu celular pela 56464 vez no ano.

6) Uma coisa usada que você comprou:

-Acho que ultimamente não tenho comprado nada usado. Porém tenho uma mini coleção de roupas as quais meus amigos esquecem comigo e não faço questão nenhuma de devolver, meu item preferido dessa coleção é uma jaqueta jeans clara bem maior que eu e a qual me esquenta fervorosamente nesse inverno.

7) Qual a primeira coisa que você faz ao acordar?

-Xingo e muito. Geralmente alguém me acorda e isso me deixa de extremo mau humor, depois disso tento levantar da cama, tomar alguma coisa (sem comer nada) e morrer com as tarefas do dia.

8) Do que você precisa nesse exato momento?

-Comer. Trocar de roupa. Pedir desculpas ao universo. Um cobertor mais quente. Ver mais meus amigos. Tomar um rumo na vida e comer mais um pouco.

9) Qual foi a última coisa que você leu, ouviu ou assistiu que te inspirou?

– O último cd do Criolo “Convoque seu Buda” tem me feito refletir coisas interiores, exteriores, a sociedade como um todo e inclusive que tenho que começar a agradecer cada dia mais pelas coisas boas que tenho acesso. Síntese também se encaixa nisso.

10) Um souvenir que você comprou ou ganhou:

-Não ganho souvenier, não recebo souvenier. Próximo.

11) O que te deixa estressada?

-Sai da barriga da minha minha mamãe com altos níveis de estresse e posso dizer que eles só foram aumentando conforme o tempo foi passando. Tem dias que tudo me deixa estressada, até mesmo o “bom dia” de certas pessoas me faz ficar em um nível fora de série.

12) Já morou em outro país além do Brasil?

-Nunca, porém espero que meus planos deem certo e em um futuro próximo consiga ir.

13) Você tem tatuagem?

-Não. E sim vou fazer uma em breve.

14) Qual foi a última coisa que você pesquisou no Google?

-A programação do sesc da minha cidade.

15) Qual sua maneira de ser egoísta?

-Um dos significados de egoismo é ter apego excessivo aos próprios interesses. Então minha maneira de ser egoísta é lutar e fazer de tudo para chegar onde quero mesmo que isso inclua largar minha família.

16) O que demora demais?

-A vida. As datas especiais. O fim das minhas paixões. A estreia de “Animais fantásticos e onde habitam.”

17) A última vez que você ficou acordada a noite toda:

-No final de semana da virada cultural da minha cidade. O intuito era apenas assistir ao show no sesc e ir pra casa dormir, porém havia alguns amigos no caminho, algumas cervejas, alguns beijos, uma longa caminhada para casa e uma maravilhosa companhia pra ver um nascer do sol incrivelmente nublado.

18) Qual a comida que todo mundo ama, mas você odeia?

-Olha não sou uma pessoa com muitos problemas para comer porém a partir do momento que se fala em comer aquelas comidas de bar: sarapatel é uma das coisas que mais detesto no mundo e tenho dito.

19) O que você está vestindo agora? O que essa roupa diz sobre você?

-Estou de pijama, uma das roupas que mais tenho vestido ultimamente. Por mim poderia sair de pijama pelas ruas sem nenhum olhar de reprovação da sociedade porém segundo – todo mundo – meus pais, eles não me criaram para isso e se puderem vão me fazer vestir roupas descentes até eu me casa. E eles querem garantir que não me case de pijamas.

20) Você já fez amigos ou se apaixonou por alguém que conheceu pela internet?

– Sim, já me apaixonei por um babaca e fiz amigos incríveis.

21) O que te faz perder o sono durante a noite?

– Ansiedade, fome e insonia. Quando os três se juntam é um pandemônio, sei que um desses problemas é fácil de se resolver porém quando estou morrendo de sono e não consigo dormir a última coisa que vou querer é cozinhar.

22) Qual foi a primeira coisa que você comprou com seu dinheiro?

-Comida. Meu avô sempre fez questão de frisar o quanto fiquei feliz quando me deu algumas moedas e pude finalmente comprar um sonho de doce de leite na padaria e pagar a moça do caixa sozinha foi uma das melhores sensações que uma garota de cinco anos poderia ter.

23) O que tem na sua prateleira?

-Não tenho uma prateleira. Tenho uma escrivaninha onde enfio todos os meus livros, roupas e o que estiver pelo caminho.

24) Como você se acalma depois de um dia estressante?

-Comendo e tomando um banho. Geralmente fazendo essas duas coisas me acalmo de todos os problemas porém se as coisas estiverem em um nível alto, vou deitar na minha cama em posição fetal e chorar. E isso claro: comendo.

25) Escreva sobre alguma coisa que você quebrou:

-Quando eu tinha dezesseis anos consegui meu primeiro estágio em um abiblioteca e devo ressaltar que amava aquele lugar. Enfim, tinha uma sala na qual ficávamos para tomar café e lá dentro tinham umas xícaras bonitinhas, adivinhem o destino das xícaras quando peguei algo muito quente e gritei por me queimar, as coitadas se espatifaram no chão e eu nunca mais entrei na salinha pra comer.

26) O que você mais gosta de comer no café da manhã?

-Pão! Não importa se quente, fresco ou amanhecido, tendo pão no café da manhã vou ser uma pessoa um pouco mais feliz.

27) Como quer que sua vida de aposentada seja?

– Cheia de netos para que possa enche-los de comida, cheia de energia para poder viajar, cheia de tatuagens pra contar histórias, com a minha família e diversas coisas boas na vida.

28) O que você leva em consideração ao votar em um partido político?

-Cheguei agora nesse lance de politica, ainda não votei, mas estou indo pelos candidatos que defendem a causa LGBT, que tratam pessoas como pessoas e se preocupam com causas que realmente fazem parte do dia a dia da população.

29) A religião é um fator importante na sua vida? Por quê?

– Sim, mas tenho que admitir que já fui mais. Fui criada em uma religião diferente e isso me fez nunca duvidar da minha fé, sempre mante-la viva não importando muito a situação. Em alguns momentos da minha vida a fé foi a única coisa que me manteve de pé.

30) Como está sua casa agora? Limpa ou suja?

-Suja. Tenho duas crianças em casa, um pai que deixa tudo jogado e um adolescente mimado que só sabe sujar.

31) Você não economiza quando o assunto é…

-Comida! Simplesmente adoro comer e sempre dou um jeito de gastar meu dinheirinho em alguma coisa deliciosa , posso até estar alimentada porém basta ver algo gostoso (ou comestível) que perco a linha.

32) Você separa o lixo pra reciclagem?

-Não. Deveria sei disso, mas fico tão pouco tempo em casa que só de deixar tudo limpo já me sinto bem.

33) Sua sobremesa favorita:

-Brigadeiro. Torta de limão. Sorvete de creme e doces italianos.

0

Para mim mesma, daqui dez anos.

Oi, tudo bem com voce?
Como estão as coisas aí no futuro? Nos nós formamos em jornalismo? Estamos namorando? Acho que não né?  Namorar nunca foi uma prioridade nossa. Queria te dizer que as coisas com a Isis de 19 anos estão meio confusas: estamos trabalhando em um emprego no qual as pessoas (sua mãe,  seus amigos, todo mundo) querem que você largue, não sabemos como vamos fazer faculdade, queremos largar tudo e ir pra São Paulo viver a vida corrida e complicada de lá, mas temos alguns pontos bons nisso: fizemos alguns amigos incríveis, alguns a tempos e outros recentes porém nenhum deles cogita a idéia de sair da nossa vida. Espero que aí no futuro eles possam estar nos fazendo companhia em algum momento importante ou só de bobeira mesmo. A um lembrete: o Felipe é uma das melhores pessoas do mundo e sim nos temos opiniões completamente diferentes mas ele é a pessoa que no momento está te ajudando a ter um equilíbrio entre toda essa loucura que está acontecendo.
Nós vamos quebrar a cara mais do estamos fazendo agora disso tenho certeza. Mas vamos fazer isso com a certeza de irmos pro caminho certo, de termos ao menos tentado chegar lá. A e o nosso gosto musical como anda? Ele ainda é aquela mudança constante? Espero que sim.
Olha Is se eu puder dar um conselho a mim mesma seria esse: não desista. Mesmo que as coisas pareçam estar meio sem sentido, mesmo que você queira largar tudo e correr, não faça. Acredite já fiz muito isso. Apenas respire e diga ao mundo que vamos seguir em frente.
Mantenha a fé. Isso é um pedido que faço por nós. Não largue a religião,  procure outra se necessário, mas não abandone, esse poder de ter fé é o que nos mantém de pé.
Vamos fazer tudo dar certo. Vamos fazer tudo diferente.
Um beijo e boa sorte, nos vemos no futuro.

Esse post faz parte do grupo mais lindo do universo o Rotaroots que quer recuperar o mundo blogueiro de um tempo atrás então clica no link para se juntar a essa blogosfera maravilhosa